Início > Tecnologia & Sport > Uma camisa que vale por 8 garrafas PET

Uma camisa que vale por 8 garrafas PET


Aproveitando a deixa do post sobre tecnologias verdes e o do post anterior( onde falei sobre as novas chuteiras da Nike), com a proximidade da Copa do Mundo, estava eu passeando pela net em busca de noticias achei uma falando sobre a nova camisa da seleção brasileira, agora você pode tá pensando sim, mas o Salad@ é um blog sobre tecnologia, o que a camisa nova da seleção tem haver com tecnologia, pois bem, acredito que vocês já perceberam que além de tecnologia o nosso blog tem o objetivo também de expor a consciência ecológica que todos nós devemos ter, afinal de contas somos responsáveis por esse mundão onde vivemos, então nada mais justo que nós mesmo tenhamos a atitude de cuida bem dele.

Nova camisa do Brasil para a Copa do Mundo 2010

Mas vamos lá, o que tem nessa nova camisa? O legal dessa nova camisa é que cada camisa é feita com oito garrafas de plástico que foram retiradas do meio-ambiente. Aquelas garrafas PET, aquelas garrafinhas de água mineral, de suco ou refrigerante, ou seja aquelas garrafas que estão inseridas no nosso dia-a-dia e muitas vezes a gente nem percebe mas que nós vemos muitas vezes jogadas na areia da praia, nos parques, terrenos baldios e etc.

Vamos lá, agora é onde entra a parte tecnológica da história!!!

O consagrado tecido Dri-Fit foi aperfeiçoado: ele é 13% mais leve em relação aos antigos uniformes da Nike. Essa característica ajudará a manter os jogadores secos, extraindo o suor para fora da roupa, onde evapora com mais facilidade. Há também zonas de ventilação na lateral de cada camisa e abaixo da linha da cintura dos calções, que aumentam a passagem de ar pelo tecido.

Essas zonas de ventilação terão até 200 buracos minúsculos cortados a laser( alguém dúvida precisão!!!), apoiados por um mecanismo que evita rasgos e aumentam o fluxo de ar em até 7% em relação aos uniformes antigos. Além disso, a nova estrutura em malha dupla da camisa proporciona uma aparência mais elegante, com 10% a mais de elasticidade que os uniformes comuns, e também ostenta um novo ajuste dinâmico, seguindo os contornos naturais do corpo ao mesmo tempo em que permite grande movimentação dos atletas. Ou seja quem tiver fora de forma, não terá mais como se esconder, vamo correr galera!!!

Como todo plástico estas garrafas têm um alto impacto ambiental. As que são colocadas no lixo para serem coletadas costumam ser descartadas em aterros sanitários, onde não são decompostas. Para ajudar a neutralizá-lo, os fornecedores de tecido da Nike começaram a recolher as garrafas de lixões no Japão e em Taiwan. Elas foram lavadas para a retirada de impurezas, tiveram o rótulo removido e foram cortadas em flocos. Esses pequenos pedaços foram derretidos para produzir fios muito finos, que foram convertidos em tecido.

Quando comparado à fabricação tradicional, com base em poliéster virgem, o método da reciclagem de garrafas reduz o consumo de energia em 30%. Na prática, ao usar o poliéster reciclado para a nova linha de camisas dos times que disputarão a Copa 2010, evitou-se que cerca de 13 milhões de garrafas plásticas, ou um total de 254 toneladas de resíduos de poliéster, fossem enterradas em aterros sanitários ou lixões. Essa quantidade seria suficiente para cobrir mais de 29 campos de futebol. A Terra Agradece essa bela iniciativa

Se cada garrafa reciclada utilizada para fazer as camisas fosse colocada em linha reta, elas cobririam cerca de três mil quilômetros mais do que toda a costa da África do Sul. Pensem nisso!!!

Para quem pretende torcer pelo Brasil munido de uma bela camiseta ecologicamente correta, vai ter que colocar a mão no bolso, pois a nova camisa  chegará às lojas em duas versões, sendo uma idêntica a dos jogadores, ao preço sugerido de R$ 239,90, e outra que é uma réplica, com o valor de R$ 199,90.

Esta nova tecnologia também está presente na camisa azul da Seleção e nos uniformes das outras oito nações que serão vestidas pela Nike na Copa 2010 : Holanda, Portugal, Estados Unidos, Coréia do Sul, Austrália, Nova Zelândia, Sérvia e Eslovênia.

Fontes:

ESPBR
G1 Esporte

  1. 1 de março de 2010 às 16:28

    Ótimo post, uma ótima coisa que produtos baseados em materiais reciclados também faz é dar emprego a “catadores” d materiais recicláveis, as prefeituras de todo o país poderiam contratar estas pessoas, o que tiraria milhares de pssoas do tráfico, crime e outras coisas ruins que as ruas podem trazer.

    Curtir

    • 2 de março de 2010 às 10:57

      Isso que você falou é a mais pura verdade, pena que muitos políticos do nosso pais não tem compromisso com a melhoria das condições de vida dos cidadãos. Mesma coisa em relação a educação, pois afinal de contas se o pobre continuar pobre e não tiver acesso a educação de qualidade, esses políticos corruptos e desonestos vão poder continuar sendo eleitos.

      Curtir

  1. No trackbacks yet.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: