Arquivo

Archive for março \31\UTC 2013

iPhones aprova de quedas ???

31 de março de 2013 Deixe um comentário

Um novo pedido de patente feito pela empresa da maçã, permitirá proteger as partes mais frágeis dos dispositivos, como exemplo a tela, em caso de queda, entre os mecanismos utilizados está um em que o sistema funciona em sintonia com o acelerômetro coletando informações do posicionamento, para em caso de mudanças bruscas na posição acionar motores e alterar o centro de gravidade do aparelho.

O sitema terá a responsabilidade de detectar qual parte mais sensivel correrá maior risco no caso de um queda e desta forma desviar o centro de gravidade.

Um outro sistema, baseia-se na utilização do próprio fone de ouvido caso ele esteja conectado, para amortecer ou até mesmo prevenir a queda, para isso fazendo com que ele fique firme e conectado ao aparelho.

Por hora, tudo ainda é muito teorico e não tem previsão ainda para sair do papel, mas uma vez que já se encontra nele, para tornar-se realidade é questão de detalhes.

Para maiores informações : Us Patent and Trademark Office

Fonte : Developpez

Anúncios

Recuperando movimentos com Neuropróteses

29 de março de 2013 Deixe um comentário

As doenças neurodegenerativas podem causar transtornos muito complicados ao longo dos anos, como a paralisia.

Lorenzo Rossi, doente com esclerose amiotrófica lateral, paciente do projeto Mundus, o novo programa europeu de desenvolvimento de neuropróteses, em Itália, explica de que padece: “Lentamente, nestes últimos cinco ou seis anos, perdi a capacidade de usar o braço esquerdo, e agora está a espalhar-se para o resto do corpo. Ainda posso mexer os músculos, mas estou a ficar cada vez mais fraco.”

Andrea Niutta sofre de esclerose múltipla e está numa cadeira de rodas há quase duas décadas. Encontra-se no Hospital Valduce, na Costa Masnagam perto de Mião, onde faz terapia reeducativa. Niutta ofereceu-se como voluntário para o Mundus: “Estava absolutamente convencido de que não ia ter muitos problemas com o braço direito, mas aconteceu exatamente o contrário. Através destes estímulos, o projeto Mundus conseguiu mostrar-me como optimizar o uso do braço direito fazendo uma série de movimentos pequenos.”

O programa pretende devolver algum controle, autonomia e dignidade ao dia a dia de pessoas com os membros superiores paralisados, como Andrea ou Lorenzo. E o mais importante é adaptar a tecnologia ao paciente, e não o contrário.

Franco Molteni, neurologista, responsável do centro de reabilitação neurológica do Hospital Valduce Villa Beretta, explica o que fazem: “Mundus foi uma experiência importante porque pudémos analizar com detalhe os problemas dos doentes que são definidos como doentes de nicho, porque não são vários milhões. No entanto, as soluções para os seus problemas beneficiam milhões de pessoas.”

As neuropróteses são sistemas modulares compostos por exoesqueletos passivos que libertam o braço do seu próprio peso através de uma estimulação eléctrica dada aos pacientes que não têm atividade muscular, nem residual. Outros sistemas paralelos registram as intenções do paciente, a atividade muscular, e uma câmara registra os movimentos dos olhos, que podem controlar os movimentos musculares fixando-se em imagens no ecrã.

Alessandra Pedrocchi, bioengenheira, gestora do projeto Mundus: “O registro do sinal electromiográfico faz-se através de elétrodos e de um sistema de filtragem que permite verificar, em tempo real, o nível de estimulação dada aos músculos dos braços, que pretendemos que seja o mais natural possível, de acordo com a vontade do paciente”.

Para os que nem a cabeça conseguem mexer, existe um sistema que interage com o cérebro. Lorenzo, por exemplo, ainda tem funcional o braço direito, e não quer pensar na possibilidade de perder a mobilidade, ou seja, perder autonomia.

Lorenzo Rossi: “Este protótipo for criado para o braço esquerdo. Serei voluntário para refazer todos os testes e experiências no dia em que quiserem criar um para o braço direito. Talvez aí possamos ver as diferenças entre um braço paralisado e um braço ainda funcional. Será uma boa forma de ajudar os engenheiros e médicos que se dedicam a este projeto”.

Beber, pentear o cabelo, ascender uma lâmpada – são pequenos gestos porém muito importantes que podem estar ao dispor do paciente, em breve, através das neuropróteses.

É a ciência e a tecnologia caminhando juntas para propocionar uma vida melhor para pessoas que tem mais dificudades devido as suas limitações fisicas.

Fonte: Euronews

Tinta que gera energia

29 de março de 2013 Deixe um comentário

Cientistas do reino unido estão desenvolvendo uma nova tinta com propriedades fotovoltaicas, a grande sacada aqui é que esta tinta será capaz de produzir eletricidade. Uma provável aplicação para esse tipo de tinta seria utilizar para pintar prédios, paredes e tetos permitindo às casas e aos escritórios do futuro, gerar a sua própria energia.

No Centro de Investigação de Energia Sustentável do País de Gales, os investigadores usaram técnicas de revestimento para cobrir edifícios com esta tinta composta por nanopartículas. É uma tinta em spray produzida a partir de nanomateriais, que aproveitam os raios do sol. Este revestimento capta a energia solar utilizando nanoestruturas de óxido de titânio, com células semicondutoras que imitam a fotossíntese de uma planta.

Eifion Jewell: “Na sua forma mais simples, podemos usar grafite de carbono, que é encontrada nas minas dos lápis e que é um bom condutor, mas temos de colocar outros materiais como prata, podemos fazer uma tinta prateada, que é condutora em estado seco.”

É usada uma máquina de aquecimento para experimentar o grau de secagem de diferentes materiais condutores. Este revestimento especial, aplicado em paredes e telhados, funcionaria como os painéis solares, que podem gerar e armazenar energia renovável.

Fonte: Euronews

Android alvo de 96 % des malwares

9 de março de 2013 Deixe um comentário

Apesar do grande sucesso o Android figura como um dos maiores alvos de ataque de virus.

Segundo um estudo apresentado pea empresa F-Secure, sobre as maiores ameaças durante todo o ano de 2012. Diagramas comparativos foram estabelecidos entre o Android, BlackBerry, iOS, J2ME, Windows Mobile et Symbian.

Nos ultimos 4 meses de 2012, o Android passou a ser o alvo de 96 dos 100 novos tipos de ameaças detectadas, contra 49 dentre 74 encontradas nos 4 meses anteriores. Aparentemente os outros sistemas parecem não chamar tanta a atenção, talvez até pelo maior sucesso do Android.

Em 2010, Android tinha 11.25 % de malwares, contra 66,7 % en 2011, passando a 79 % en 2012. Seguido pelo Symbian que tinha 62,5 % de threats passando a 29 % en 2011 e finalmente chegando a 19 % en 2012. Quanto ao número de threats passou de 80 em 2010 à 301. Que corresponde a um aumento de 26,58 %.

As ameaças cada vez mais tem como objetivo o roubo de dados de contas bancárias, senhas de cartões e etc.

F-Secure não forneceu informações quanto ao mecanismo utilizado para propagar os malwares.

O Google preocupado com a segurança colocou a disposição alguns dispositivos para ajudar os usuários, tais como o Bouncer que utilisa o Cloud do Google para analisar automaticamente as aplicações existentes, novidades e também as contas dos desenvolvedores.

Para maiores informações segue o link para o relatório em PDF: “Relatório F-Secure”

Fonte: Developpez

Categorias:Segurança Tags:, ,