Arquivo

Archive for the ‘Embarcados’ Category

E os embarcados invadem a nossa casa e o nosso mundo

18 de janeiro de 2010 Deixe um comentário

E pra quem acha que o serviço de casa é algo chato e intediante, que apenas mulheres devem fazer pois é algo tão simples ou coisa parecida, eis que a tecnologia vem para facilitar e mostrar que para ser dona(ou dono) de casa nos nossos tempos não é mais como era antes e que com a ajuda dela todos nós teremos que nos capacitar para poder desempenhar as tarefas diarias de nossas casas. Isto é se você quiser ter uma casa habitável e liberada pela ANVISA.

O que vemos é a invasão dos computadores nos 4 cantos do mundo em todos os ramos das nossas vidas, seja em casa ou no escritório, nas ruas, nos céus e também nas casas e pra minha surpresa, não só nos computadores e televisores assim como em microondas, mas agora nossas lavanderias que já tinham maquinas altamente capacitadas agora serão ainda mais revolucionárias.

Com o Android embutido agora vamos ter o poder de controlar nossas lavadoras e secadoras e fornos também.

Mas ai não podemos ficar sem pensar sobre a segurança pois será que algum hacker poderia tirar uma onda com a nossa cara utilizando esses equipamentos para assar por exemplo uma cueca, lavar uma lasanha congelada e secar o risoto?

NIM1000

Na figura vemos a NIM1000, um módulo com tela capacitiva sensível ao toque que funciona com o em Android, para controlar todo tipo de eletrodoméstico. Ele tem as conexões necessárias para se plugar em tudo, de utensílios para cozinha a impressoras e telefones de mesa usados em empresas. Mas você não pode comprar: ela é feita para as fabricantes desses produtos.

Feito pela Touch Revolution, a NIM1000 foi  demonstrada na feira CES, mostrando quais funções ela pode ter. A lavadora-secadora tem controles na tela sensível a toque, guias para tirar manchas, mais não é só isso ela ainda vem com um interpretador para os símbolos extraterrestres encontrados nas etiquetas das roupas.

Já no micro-ondas da mesma empresa, de acordo com a Touch Revolution, ele também serve como um centro de controle da cozinha, com widgets que vão desde tocadores de rádio via internet, ou exibição de fotos do seu cão, acesso a notícias, navegar na web e timers para o forno e para o fogo do fogão.

Agora cuidar dos afazeres domésticos ficou muito mais divertido, já pensou??? Enquanto eu faço ou melhor esquento minha lasanha no micro-ondas ouço as minhas músicas preferidas dando uma olhada nas fotos do fim de semana, enquanto aproveito para escrever meus posts aqui no Salad@, atualizar meus emails e ainda de quebra ver o que ta rolando no mundo da tecnologia. Já estou juntando a grana para uma renovada geral dos meus eletrodomésticos!

Fonte:GIZMODO

Casa Inteligente – Um bom exemplo de Sistema Embarcado

6 de janeiro de 2010 1 comentário

Computadores cuidando do gramado, da segurança e da qualidade de vida do lar, comunicação remota instantânea com eletrodomésticos e saguões de prédio que sabem exatamente onde você está, iluminando entradas, portas de garagens que só abrem quando reconhecem o dono e elevadores que saúdam o transportado com sua música predileta.

Todo um conjunto de sistemas que pode controlar o funcionamento completo de uma casa pela tela do computador, pelo celular. E em alguns projetos mais sofisticados, por um equipamento de controle remoto que reúne todas as funções dos aparelhos eletrônicos da casa.

Já sei, isso deve ser o mais novo filme de Spielberg. Quase, mais isso é uma realidade que já podemos ver no nosso dia a dia, conforme nosso post anterior isso trata-se de um mundo de Sistemas Embarcados, incluindo no meio o meu bom e querido RFID(Identificação por Rádio Frequência).

Casa Inteligente

A Antares Áudio, Vídeo e Automação, uma empresa especialista em automação inclui em seus projetos, entre outros artigos de luxo, um que pode ser considerado o objeto do desejo. Com design inovador, o Crestron é um equipamento sofisticadíssimo, menor que um laptop, com alta qualidade de imagem e capaz de controlar a casa toda.

Cestron

Persianas, fontes de áudio e vídeo, temperatura da casa, sistemas de segurança, home theater, enfim, tudo está ao alcance graças a simples toques no painel. O conforto, a segurança e a facilidade que esse produto proporciona ao ambiente são suas principais características.

Como se não bastasse tudo isso, os projetos aliam a casa inteligente a maravilhosa AI(Inteligência Artificial), permitindo assim que os locatários não precisem ter grandes conhecimentos informáticos: A partir do momento em que o algoritmo está concluído, a casa identifica os estranhos, adapta-se aos moradores e controla o sistema.

No Brasil, o Laboratório de Automação Integrada e Robótica da UNICAMP foi um dos que saiu à frente desta nova revolução, constituindo um grupo de pesquisa na área de Automação Predial e Residencial, a partir da utilização de controladores programáveis e linguagens dedicadas para implementação de “casas inteligentes” com baixo custo de implementação.

Exemplo de uma casa automatizada

O despertador toca às 7h. O sistema integrado toca uma musica para relaxar e te fazer acordar de bom humor, liga a cafeteira. To com preguiça e fico um pouco mais na cama, mas às 7h05 começa o sistema manda um Rock para tocar no alto-falante do quarto. Levanto e olho pela varanda: a grama está cortada e as flores ainda estão molhadas, pois o sistema foi programado para irrigar o jardim às 6h. A piscina está limpa e com a água transparente, a filtragem e o controle de PH também funcionam bem. Tomo o café e saio. Já no caminho penso se liguei a segurança da casa. Pelo celular, ligo pra casa, digito minha senha, consulto informações e ligo o alarme. Durante o dia espio pela internet como está a casa através do sistema de câmeras instalados em todos os cômodos da casa, vejo meu cachorro no quintal, bem alimentado e brincando pelo sistema automático.

Cansado, já voltando do trabalho, tudo que quero é relaxar. No meio do engarrafamento falo em alto e bom som o número de minha casa e meu carro liga para o número de casa então programo a banheira. Quando meu carro se aproxima de casa, o chip localizado no veículo é identificado, a porta da garagem se abre. Coloco o polegar no identificador de digitais, ao lado da porta que da acesso a casa, os sensores de alarme são desligados e ele abre. As luzes até a entrada da casa acendem. Entro, o portão fecha. Entro em casa e começa a tocar o CD que gosto de ouvir quando chego. Coloco uma lasanha congelada no forno mas não ligo o aparelho. Vou até a banheira: está cheia, a água perfeita. Mais tarde, ainda da banheira, pego o controle remoto que comanda a casa e ligo o micro-ondas.

Ta relaxando ai pensando em tudo isso??

Mas ainda não acabou. Saio do banho, me visto e a lasanha está pronta. Janto e vou deitar assistindo a um filme novo, baixado da internet pela casa, que sabe muito bem o tipo de filme que gosto.

Fico pensando aqui, com uma casa dessas você arranja um emprego que ganhe bem e trabalhe em casa pela internet e ta feito, vai ficar curtindo a casa e se brincar ela ainda vai fazer seus projetos e ganhar a grana para que você possa sustentar tudo isso, a menos que você mesmo se garanta e resolva criar o  seu próprio sistema.

Vou ficando por aqui, pois agora tenho que ir pensar a respeito do meu sistema.

Sistemas Embarcados – Uma breve introdução

6 de janeiro de 2010 1 comentário

Aproveitando o espaço para falar um pouco de Sistemas Embarcados, algo que está bem na moda e no nosso dia a dia, mas muitas vezes nem percebemos, pois eles são discretos e executam suas tarefas de forma “invisível”.

Sistemas Embarcados

O primeiro sistema embarcado reconhecido foi o Apollo Guidance Computer, desenvolvido por Charles Stark Draper no MIT. O computador de guia, que operava em tempo real, era considerado o item mais arriscado do projeto Apollo. O uso de circuitos integrados monolíticos para reduzir o tamanho e peso do equipamento aumentou tal risco.

O primeiro sistema embarcado de produção em massa foi o computador guia do míssil nuclear LGM-30 Míssil Minuteman, lançado em 1961. Ele possuía um disco rígido para a memória principal.

Em meados da década de 1980, vários componentes externos foram integrados no mesmo chip do processador, o que resultou em circuitos integrados chamados microcontroladores e na difusão dos sistemas embarcados.

Agora vamos descontrair um pouco, pergunte-se ou pergunte a algum amigo quantos computadores tem em casa. Provavelmente a reposta será “tenho só um”, ou talvez “tenho dois”. Pois involuntariamente estaremos nos equivocando, pois na verdade temos 10, 20 ou quem sabe 50 computadores em casa.

Os demais estão escondidos, dentro do celular, TV, aparelho de som, modem ADSL, ponto de acesso, brinquedos, câmeras digitais, mp3 players, fornos de microondas e outros aparelhos domésticos, controles remotos e assim por diante. Seja bem-vindo ao fantástico mundo dos sistemas embarcados.

Sistemas embarcados são desenvolvidos para uma tarefa específica. São dispositivos “invisíveis”, que se fundem no nosso cotidiano, de forma que muitas vezes sequer percebemos que eles estão lá. Eles são formados por fundamentalmente os mesmos componentes de um PC: processador, memória, algum dispositivo de armazenamento, interfaces e assim por diante. Por questões como segurança e usabilidade, alguns inclusive possuem restrições para computação em tempo real. O software escrito para sistemas embarcados é muitas vezes chamado firmware, e armazenado em uma memória ROM ou memória flash ao invés de um disco rígido.

Para se ter uma idéia de como esses sistemas estão presentes em nossa vida segue uma listinha com exemplos de onde eles são utilizados:
* Aviônicos, como sistemas de controle inercial, controle de vôo e outros sistemas integrados nas aeronaves, como sistemas de orientação de mísseis.
* Telefones celulares e centrais telefônicas.
* Equipamentos de redes de computadores, como roteadores, hubs, switches e firewalls
* Impressoras.
* Dispositivos de armazenamento (discos rígidos e disquetes).
* Controladores da tracção, do motor e do antibloqueio em automóveis: freios ABS e controle de tração.
* Calculadoras.
* Eletrodomésticos, como fornos microondas, máquinas de lavar, aparelhos de TV, DVD players.
* Equipamentos médicos.
* Videogames.
* PDAs.
* Tratores e implementos agrícolas.

Graças aos sistemas embarcados que o Z80 (em suas inúmeras variações) é até hoje o processador mais produzido. Por ser um processador simples de 8 bits, incrivelmente barato e possui um baixíssimo consumo elétrico. Não seria possível incluir um Core Duo ou Athlon num controle remoto, por exemplo, mas um Z80 cumpre bem a função.

Um bom exemplo é o game boy, Quem lembra dele? Ele era baseado num Z80, acompanhado de controlador de áudio externo e outros circuitos. Outro exemplo são os S1 Mp3 players, aqueles Mp3 players genéricos em formato de pendrive, fabricados em massa pelos mais diversos fabricantes.

Outro processador muito usado é o Motorola 68000, o mesmo chip de 32 bits utilizado nos primeiros Macintoshs. O chip DragonBall usado nos primeiros Palms, que incluía um processador 68000, controlador de vídeo e outros componentes, tudo no mesmo wafer de silício.

Para dispositivos que precisam de mais processamento, temos as diversas famílias de processadores ARM, chips RISC de 32 bits, produzidos por diversos fabricantes, que vão da Samsung à Intel.

Quando você estiver por aí se sentindo sozinho não precisa se desesperar pois vai sempre existir um SE perto de você.

Fontes :

1 Wikipedia
2 Guia do Hardware
3